sexta-feira, 4 de abril de 2014

Da Vinci's Demons


  Uma das minhas séries favoritas é Da Vinci's Demons. Pelo título já dá pra saber sobre quem é: Leonardo da Vinci. Mas a série é mais do que isso.

  A série conta a história do gênio quando jovem, roubando cadáveres para realizar seus estudos sobre anatomia e comprando aves para solta-las, a fim de observar o movimento de suas asas. Da Vinci é um homem inteligente e  obscuro, e pode ser o único que conseguirá impedir que Roma  e a Igreja Católica dominem a cidade de Florença.

  Ele se vê envolto por mistérios desde sua infância, quando sua mãe o abandonou e ele foi criado pelo pai, que sempre o lembrava que ele era um bastardo.

  Da Vinci acha que o sumiço de sua mãe pode ter alguma coisa a ver com o Livro das Folhas, fonte de todo o conhecimento do mundo. Resolve então que vai encontrar esse livro, custe o que custar.

  Nesse meio tempo, ele ainda se envolve com Lucrézia Donati, amante de Lorenzo de Médici, o manda-chuva da cidade. O problema é que Lucrézia é (muito) mais do que aparenta.


                                                            Lucrézia Donati

  A série também mostra como era a Igreja Católica naquela época, tendo Riario como o personagem mais significativo desse lado. Com o passar do tempo, Riario começa a parecer mais com uma marionete nas mãos da Igreja Católica do que um vilão.

 
Da Vinci e Riario
 
Um problema da série, assim como de todas as outras séries que se passam em séculos passados, é que tem cenas de sexo desnecessárias. E são muitas, principalmente no início, mas conforme a vai evoluindo, a história vai crescendo e as cenas picantes vão diminuindo. Não me incomodo com cenas sexuais, só que acho que uma série como Da Vinci's Demons poderia passar mais sobre história e a evolução humana.
 
Resumindo, adoro a série. A segunda temporada começou semana retrasada e está MARAVILHOSA. Se você nunca assistiu, dê uma chance à ela. Garanto que não vai se arrepender ;-)
 
Bjs!
 

As Vantagens de Ser Invisível - Stephen Chbosky

 

Sei que corro o risco de ser apedrejada por essa resenha, mas criei o blog para poder compartilhar minhas opiniões.
  A resenha de hoje será sobre um livro que me decepcionou muito, As Vantagens de Ser Invisível.
  Não sei se o livro é ruim, é que ele apenas não correspondeu ao que eu esperava...

  A história é a seguinte: Charlie é um adolescente com problemas sociais e que não consegue se encaixar. Logo no início vemos que ele é uma pessoa diferente das outras, é muito sensível (leia-se chorão) e inteligente, porém sua mentalidade é de uma criança. O livro é contado em cartas escritas por Charlie para um leitor anônimo.

  Ele faz amizade com duas pessoas da escola, um garoto e uma garota tão esquisitos quanto ele - esqueci os nomes deles, sorry :-( - que acabam por incluí-lo em sua turma.

  A partir disso, a  vida de Charlie passar a ter muitas festas, além de drogas e bebida, e isso foi uma coisa que me incomodou muito. O autor fez parecer que adolescentes só conseguem se divertir se estão fazendo merda.


                                            Pensei isso o livro inteiro

  Outra coisa que eu não gostei do livro foi que o autor pouco se aprofundou no problema de Charlie. A única coisa que me fez terminar de ler o livro foi querer descobrir a razão pela qual ele era daquele jeito, mas parece que o autor simplesmente estava desesperado para acabar de escrever e resolveu fazer o final de qualquer jeito.

  E claro, de invisível o Charlie não tem nada. Na verdade, ele é sempre o centro das atenções, não só da família como dos amigos.

  Muitas pessoas se identificaram demais com o livro, dizendo até que foi o melhor livro que elas já haviam lido. Como eu disse antes, não é que o livro seja ruim, mas não correspondeu às minhas expectativas.

  Quem leu o livro (e que não leu também) sinta-se muito bem-vindo para comentar, mesmo que discorde de mim :-)

  Bjs!

terça-feira, 1 de abril de 2014

Filme - Tudo em Família


 Acho que este é, sem dúvidas, um dos meus filmes favoritos e um dos que mais me fazem chorar (se bem que a lista é extensa).

  Com uma mistura de drama e comédia, o filme conta a história de um Natal em que Meredith Morton (Sarah Jessica Parker - Sex and the City) resolve conhecer a família de seu namorado Everett Stone (Dermot Mulroney - O Casamento do Meu Melhor Amigo). Por ser uma pessoa muito tímida e reservada, Meredith leva um choque ao conhecer a família "não-tradicional" do namorado. Por outro lado, a família também não gostamuito da personalidade dela, principalmente a irmã caçula do rapaz, Amy (Rachel McAdams - Meninas Malvadas), que tem muita dificuldade em aceitar alguém novo na família.

A família Stone
                                                     
  Depois de algumas confusões, Meredith resolve chamar sua irmã Julie (Claire Danes - Homeland) para ajudá-la a passar por essa furada. O que não resolve muito, já que a família Stone se encanta imediatamente com o jeito espontâneo e divertido da garota. Mas tudo isso piora em um  jantar, quando Meredith fala algumas coisas que não agradam à ninguém, inclusive seu namorado. Ela então sai da casa dos Stone para ir à um bar, e a partir daí a história começa a tomar um rumo diferente.

  O que me agrada nesse filme é que eles não focam apenas na Meredith passando o Natal com a família Stone, mas também mostra os problemas que existem nessa família e que não tem relação com a moça.

   Enfim, se você quiser rir, chorar, assistir um filme com a sua família, vale muito a pena considerar Tudo em Família <3

Beijos.

Doctor Who é amor



  Doctor Who é uma série britânica lançada em 1963 (há 50 anos!) de ficção científica. Conta a história de um Timelord, um alienígena que viaja no tempo e espaço com sua nave espacial, a T.A.R.D.I.S (Time and Relative Dimension in Space), que pode levar seus passageiros à qualquer lugar e em qualquer época, além de ser maior por dentro. Devido à danos no circuito camaleão, um sistema que faz com que a T.A.R.D.I.S mude de aparência sempre que necessário, a nave ficou travada na aparência de uma cabine telefônica da polícia londrina dos anos 60.


                                                                                                              A  T.A.R.D.I.S

 O  Doctor, personagem principal da série, vem de um planeta chamado Gallifrey, planeta que foi "extinto" em uma batalha contra os Daleks, inimigos mortais dele (exterminate!).


                                                                      Os Doctors

  Alguns fatos curiosos sobre o Doctor: ele tem dois corações e é capaz de se regenerar, enganando a morte. A regeneração foi uma característica colocada na série quando o 1º Doctor, William Hartnell, teve que abandonar a série por problemas de saúde :-( Essa foi a maneira que os produtores encontraram para continuar a série com um ator diferente, o que acabou se tornando marca registrada da série.

  O Doctor sempre viaja com amigos, chamados companions. Eles são parte importante da vida do Doctor e sempre o ajudam a resolver seus problemas. Uma das companions mais marcantes do Doctor é a Susan, neta dele, que apareceu logo no início da série.

 
10º Doctor e seus companions

  Até o momento a série teve 11 Doctors, e no especial de 50 anos The Day of the Doctor foi apresentado o War Doctor, o que lutou naquela guerra que destruiu seu planeta. Também no especial de 50 anos, foi apresentado o 12º Doctor, interpretado pelo Peter Capaldi.


                                                                   Peter Capaldi, o 12º Doctor

  A série não ficou no ar durante os 50 anos seguidos, sendo interrompida por longos  anos e voltando definitivamente em 2005, com Christopher Eccleston como o 9º Doctor e Billie Piper como sua companion, Rose Tyler (minha favorita).

  Você pode começar a assistir a série clássica (a partir de 1963), mas pode começar logo pela atual, de 2005. Recomendo que você comece pela segunda maneira, já que a série clássica é muito longa e a série atual tem apenas sete temporadas.

  Um dos melhores episódios da série é Vincent and the Doctor, da quinta temporada. Nesse episódio, como dá para perceber pelo título, o Doctor volta no tempo e visita o pintor Vincent Van Gogh, gerando uma história linda e fazendo muitos whovians se interessarem pela vida do pintor.


                                                                 Vincent and the Doctor

  Doctor Who é um marco da cultura britânica, que com sua genialidade se tornou parte da vida de pessoas de todo o mundo.

  Uma simples resenha nunca será capaz de fazer alguém entender a razão de essa série já ter 50 anos e continuar conquistando tantos fãs dia após dia. Apenas assistindo para saber...

 A série possui alguns spin-offs (séries derivadas de outras séries), o mais conhecido deles é Torchwood.

  
 
Torchwood
 
 
Acima está um trecho de Vincent and the Doctor. Desculpem pela má qualidade do vídeo e por não ser legendado, mas foi o único que eu consegui encontrar dessa cena. É basicamente a cena mais linda do episódio, em que o Doctor leva o Vincent à um museu para que ele possa ver o quão sua obra se tornou influente para o mundo da arte. O Doctor pergunta ao guia do museu o que ele acha que o Van Gogh significa para a história da arte, e o guia dá uma declaração apaixonada sobre o artista. Em um dos trechos mais bonitos de seu discurso, ele diz que ninguém exceto Van Gogh usou a dor de sua vida para expressar algo tão belo quanto suas pinturas, e que talvez ninguém jamais o fará de novo.
 
Beijos!