domingo, 9 de novembro de 2014

Sunday Song - Easy, Faith No More

 Olá, galera!!! Sei que faz muito tempo que não posto aqui, portanto resolvi criar essa coluna no blog para conseguir ter pelo menos um post por semana.

  Vai funcionar assim: todo domingo eu postarei uma indicação de música, a maioria contendo a palavra "Sunday" - claro, né?, já que é de domingo -, mas algumas vezes, quando a mente não estiver com muita vontade de ajudar, eu postarei alguma música que eu ache legal ouvir no dia.

  Pra começar, vai uma das bandas que eu tenho ouvido ultimamente, a Faith No More. Com certeza vocês já ouviram a música mais famosa deles, "Epic", que faz jus ao nome. Mas os caras também tem outras músicas bacanas e os covers que eles fazem são incríveis. Essa que eu indico, por exemplo, é cover da antiga banda do Lionel Richie, The Commodores.

   Espero que vocês gostem :)




                                That's why I'm easy, I'm easy like sunday moooooorniiiiiiiing...

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

4 minisséries da BBC



  A BBC (British Broadcasting Corporation) se divide em múltiplos canais que transmitem notícias, séries, programas esportivos, documentários e muitas outras coisas. O mais conhecido desses, sem dúvidas, é BBC One, que produz Sherlock e Doctor Who.

  Mas a BBC One também produz excelentes minisséries, e hoje eu vou falar sobre quatro das minhas favoritas :-) Isso não é um Top 4, então a ordem em que elas são escritas não significa que eu goste mais de uma do que de outra.

North & South



  A minissérie que tornou Richard Armitage um galã que frequenta os sonhos das mulheres que assistem as minisséries da BBC One foi baseada no livro homônimo da Elizabeth Gaskell, lançado em 1855. A minissérie (e o livro) lançada e 2004 conta a vida de uma moça chamada Margaret Hale, que sai do Sul da Inglaterra e vai para o Norte, mais precisamente uma cidade ficcional chamada Milton, onde a Revolução Industrial está a todo vapor (desculpem o trocadilho). Lá ela conhece Mr. Thornton, dono de uma das principais fábricas da cidade e aluno de seu pai. Logo ela cria uma grande antipatia por ele, mas eventos acontecem e ela percebe que ele é um homem muito diferente do que ela imagina.

 Apesar das comparações com Orgulho e Preconceito, a única coisa que as duas histórias têm em comum é o amor que surge entre duas pessoas muito orgulhosas para admitirem o que sentem. Enquanto Austen tira sarro da sociedade, Gaskell faz críticas mais profundas às diferenças sociais. A época em que os livros se passam também são muito diferentes, então não podemos julgar o conteúdo das duas histórias.

  Essa é a cena mais amada pelas fãs da série:


Orgulho e Preconceito



  A BBC é a campeã em transformar homens britânicos no sonho de qualquer mulher ao colocá-los para interpretar os mocinhos mais perfeitos dos clássicos, e um dos mais famosos é Colin Firth, nosso eterno Mr. Darcy <3

  Como falei lá em cima, Orgulho e Preconceito também foi inspirada em um livro homônimo escrito pela diva Jane Austen. Por já ter falado sobre o livro em outro post, não vou me prolongar falando sobre a série. Mas vou deixá-los com a cena mais conhecida da história da BBC One:


  O Colin e a Jennifer Ehle (Elizabeth Bennet) voltaram a contracenar juntos no filme O Discurso do Rei. Aposto que todos os que viram a série berraram "NÃO FINJAM QUE VOCÊS NÃO SE CONHECEM!!!"

The Impressionists



  Como o próprio nome diz, a série fala dos principais artistas do Impressionismo: Monet (mais uma vez vemos o lindo do Richard Armitage em ação), Renoir, Manet, Bazille (co-fundador do movimento, mas morreu antes de ser conhecido), Cézanne e Degas. A série conta a vida de cada um desses pintores e como elas se entrelaçam, dando origem ao Impressionismo.

  Meu personagem favorito da série é o Cézanne. A série mostra como as  pessoas o desprezavam por seus modos diferentes e como ele vivia numa situação precária. Além disso, mostra a amizade que ele possuía com Émile Zola, autor de Thérèze Raquin (alguém aqui já teve aula de literatura?) e como este também passou a rebaixá-lo quando atingiu o sucesso. Aparentemente, Zola escreveu o livro "A Obra" descrevendo a vida de Cézanne.

  Apesar de a série não ter um protagonista, quem conta a história é o Monet.

  Não tenho uma cena para deixar aqui, mas a série é maravilhosa.

Oliver Twist



  A série é (mais uma vez) baseada no livro homônimo de Charles Dickens e conta a história de Oliver, um menino que perde sua mãe quando ela dá a luz a ele, na Paróquia de São Pedro. Até  os dez anos ele vive em uma espécie de orfanato, de onde é expulso por pedir mais comida. Ele é "adotado" por um grupo de batedores de carteira e sua vida piora depois disso.

  Existem muitas diferenças entre a série e o livro, por isso não vou falar muito sobre ela. Mas é uma das melhores minisséries que eu já vi, e recomendo para todos.

 Infelizmente, também não lembro de nenhuma cena para colocar aqui :-(

  Se você já viu outras minisséries da BBC e acha que elas deveriam estar na lista, podem comentar aqui embaixo.

  Beijos :-*

Fonte: Wikipédia.

 

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Doctor Who 8ª temporada - Deep Breath







 
  Não sei se foi a espera e a ansiedade pela nova temporada, mas só posso dizer uma coisa sobre o episódio de estreia:


                                                  


  O Capaldi chegou divando e, embora ainda não possa dizer se ele vai se tornar meu Doctor favorito - ainda preciso assistir a Classic Who -, com certeza ele será um Doctor excelente!


  Vou tentar expressar minha opinião sem dar spoilers sobre o episódio, mas pode ser que algo acabe passando pelo filtro, então se quiser ler, será por sua própria conta.

  Deep Breath começa com um dinossauro aparecendo no meio da Londres (?) vitoriana, onde Madame Vastra, Jenny e o batata gigante/animal de estimação delas com tendências homicidas Sontaran Strax são chamados para verificar o caso. Acontece que o animal foi parar lá porque engoliu a TARDIS enquanto o Doctor e a Clara tentavam fugir dele. Quer dizer, dela, já que o dinossauro é uma fêmea.


  Os melhores momentos de Deep Breath, na minha opinião, foram:


- Qualquer momento em que o Doctor faz referência aos outros Doctors;
- O Doctor falando que já viu o novo rosto em algum lugar, só não lembra onde;
- As sobrancelhas de ataque, abridoras de garrafas (nas palavras do próprio Doctor) e a felicidade dele em ser escocês - sorry, Tennant;
- O relacionamento da Madame Vastra com a Jenny.

  A única coisa que me incomodou nesse episódio foi que a Clara, tendo se espalhado pela "timeline" do Doctor, sabe que ele já foi velho em outras regenerações e que os rostos são escolhidos como numa loteria. Por que ela ficou tão incomodada com o novo rosto?


  Além disso temos um novo vilão que eu não lembro o nome e uma personagem misteriosa chamada Missy, que já virou alvo de várias teorias do fandom.


  A nova temporada já começou com o pé direito, e pelo visto só vai melhorar. Agora é só esperar pelos próximos episódios!


 Beijos :-*





 

sexta-feira, 4 de abril de 2014

Da Vinci's Demons


  Uma das minhas séries favoritas é Da Vinci's Demons. Pelo título já dá pra saber sobre quem é: Leonardo da Vinci. Mas a série é mais do que isso.

  A série conta a história do gênio quando jovem, roubando cadáveres para realizar seus estudos sobre anatomia e comprando aves para solta-las, a fim de observar o movimento de suas asas. Da Vinci é um homem inteligente e  obscuro, e pode ser o único que conseguirá impedir que Roma  e a Igreja Católica dominem a cidade de Florença.

  Ele se vê envolto por mistérios desde sua infância, quando sua mãe o abandonou e ele foi criado pelo pai, que sempre o lembrava que ele era um bastardo.

  Da Vinci acha que o sumiço de sua mãe pode ter alguma coisa a ver com o Livro das Folhas, fonte de todo o conhecimento do mundo. Resolve então que vai encontrar esse livro, custe o que custar.

  Nesse meio tempo, ele ainda se envolve com Lucrézia Donati, amante de Lorenzo de Médici, o manda-chuva da cidade. O problema é que Lucrézia é (muito) mais do que aparenta.


                                                            Lucrézia Donati

  A série também mostra como era a Igreja Católica naquela época, tendo Riario como o personagem mais significativo desse lado. Com o passar do tempo, Riario começa a parecer mais com uma marionete nas mãos da Igreja Católica do que um vilão.

 
Da Vinci e Riario
 
Um problema da série, assim como de todas as outras séries que se passam em séculos passados, é que tem cenas de sexo desnecessárias. E são muitas, principalmente no início, mas conforme a vai evoluindo, a história vai crescendo e as cenas picantes vão diminuindo. Não me incomodo com cenas sexuais, só que acho que uma série como Da Vinci's Demons poderia passar mais sobre história e a evolução humana.
 
Resumindo, adoro a série. A segunda temporada começou semana retrasada e está MARAVILHOSA. Se você nunca assistiu, dê uma chance à ela. Garanto que não vai se arrepender ;-)
 
Bjs!
 

As Vantagens de Ser Invisível - Stephen Chbosky

 

Sei que corro o risco de ser apedrejada por essa resenha, mas criei o blog para poder compartilhar minhas opiniões.
  A resenha de hoje será sobre um livro que me decepcionou muito, As Vantagens de Ser Invisível.
  Não sei se o livro é ruim, é que ele apenas não correspondeu ao que eu esperava...

  A história é a seguinte: Charlie é um adolescente com problemas sociais e que não consegue se encaixar. Logo no início vemos que ele é uma pessoa diferente das outras, é muito sensível (leia-se chorão) e inteligente, porém sua mentalidade é de uma criança. O livro é contado em cartas escritas por Charlie para um leitor anônimo.

  Ele faz amizade com duas pessoas da escola, um garoto e uma garota tão esquisitos quanto ele - esqueci os nomes deles, sorry :-( - que acabam por incluí-lo em sua turma.

  A partir disso, a  vida de Charlie passar a ter muitas festas, além de drogas e bebida, e isso foi uma coisa que me incomodou muito. O autor fez parecer que adolescentes só conseguem se divertir se estão fazendo merda.


                                            Pensei isso o livro inteiro

  Outra coisa que eu não gostei do livro foi que o autor pouco se aprofundou no problema de Charlie. A única coisa que me fez terminar de ler o livro foi querer descobrir a razão pela qual ele era daquele jeito, mas parece que o autor simplesmente estava desesperado para acabar de escrever e resolveu fazer o final de qualquer jeito.

  E claro, de invisível o Charlie não tem nada. Na verdade, ele é sempre o centro das atenções, não só da família como dos amigos.

  Muitas pessoas se identificaram demais com o livro, dizendo até que foi o melhor livro que elas já haviam lido. Como eu disse antes, não é que o livro seja ruim, mas não correspondeu às minhas expectativas.

  Quem leu o livro (e que não leu também) sinta-se muito bem-vindo para comentar, mesmo que discorde de mim :-)

  Bjs!

terça-feira, 1 de abril de 2014

Filme - Tudo em Família


 Acho que este é, sem dúvidas, um dos meus filmes favoritos e um dos que mais me fazem chorar (se bem que a lista é extensa).

  Com uma mistura de drama e comédia, o filme conta a história de um Natal em que Meredith Morton (Sarah Jessica Parker - Sex and the City) resolve conhecer a família de seu namorado Everett Stone (Dermot Mulroney - O Casamento do Meu Melhor Amigo). Por ser uma pessoa muito tímida e reservada, Meredith leva um choque ao conhecer a família "não-tradicional" do namorado. Por outro lado, a família também não gostamuito da personalidade dela, principalmente a irmã caçula do rapaz, Amy (Rachel McAdams - Meninas Malvadas), que tem muita dificuldade em aceitar alguém novo na família.

A família Stone
                                                     
  Depois de algumas confusões, Meredith resolve chamar sua irmã Julie (Claire Danes - Homeland) para ajudá-la a passar por essa furada. O que não resolve muito, já que a família Stone se encanta imediatamente com o jeito espontâneo e divertido da garota. Mas tudo isso piora em um  jantar, quando Meredith fala algumas coisas que não agradam à ninguém, inclusive seu namorado. Ela então sai da casa dos Stone para ir à um bar, e a partir daí a história começa a tomar um rumo diferente.

  O que me agrada nesse filme é que eles não focam apenas na Meredith passando o Natal com a família Stone, mas também mostra os problemas que existem nessa família e que não tem relação com a moça.

   Enfim, se você quiser rir, chorar, assistir um filme com a sua família, vale muito a pena considerar Tudo em Família <3

Beijos.

Doctor Who é amor



  Doctor Who é uma série britânica lançada em 1963 (há 50 anos!) de ficção científica. Conta a história de um Timelord, um alienígena que viaja no tempo e espaço com sua nave espacial, a T.A.R.D.I.S (Time and Relative Dimension in Space), que pode levar seus passageiros à qualquer lugar e em qualquer época, além de ser maior por dentro. Devido à danos no circuito camaleão, um sistema que faz com que a T.A.R.D.I.S mude de aparência sempre que necessário, a nave ficou travada na aparência de uma cabine telefônica da polícia londrina dos anos 60.


                                                                                                              A  T.A.R.D.I.S

 O  Doctor, personagem principal da série, vem de um planeta chamado Gallifrey, planeta que foi "extinto" em uma batalha contra os Daleks, inimigos mortais dele (exterminate!).


                                                                      Os Doctors

  Alguns fatos curiosos sobre o Doctor: ele tem dois corações e é capaz de se regenerar, enganando a morte. A regeneração foi uma característica colocada na série quando o 1º Doctor, William Hartnell, teve que abandonar a série por problemas de saúde :-( Essa foi a maneira que os produtores encontraram para continuar a série com um ator diferente, o que acabou se tornando marca registrada da série.

  O Doctor sempre viaja com amigos, chamados companions. Eles são parte importante da vida do Doctor e sempre o ajudam a resolver seus problemas. Uma das companions mais marcantes do Doctor é a Susan, neta dele, que apareceu logo no início da série.

 
10º Doctor e seus companions

  Até o momento a série teve 11 Doctors, e no especial de 50 anos The Day of the Doctor foi apresentado o War Doctor, o que lutou naquela guerra que destruiu seu planeta. Também no especial de 50 anos, foi apresentado o 12º Doctor, interpretado pelo Peter Capaldi.


                                                                   Peter Capaldi, o 12º Doctor

  A série não ficou no ar durante os 50 anos seguidos, sendo interrompida por longos  anos e voltando definitivamente em 2005, com Christopher Eccleston como o 9º Doctor e Billie Piper como sua companion, Rose Tyler (minha favorita).

  Você pode começar a assistir a série clássica (a partir de 1963), mas pode começar logo pela atual, de 2005. Recomendo que você comece pela segunda maneira, já que a série clássica é muito longa e a série atual tem apenas sete temporadas.

  Um dos melhores episódios da série é Vincent and the Doctor, da quinta temporada. Nesse episódio, como dá para perceber pelo título, o Doctor volta no tempo e visita o pintor Vincent Van Gogh, gerando uma história linda e fazendo muitos whovians se interessarem pela vida do pintor.


                                                                 Vincent and the Doctor

  Doctor Who é um marco da cultura britânica, que com sua genialidade se tornou parte da vida de pessoas de todo o mundo.

  Uma simples resenha nunca será capaz de fazer alguém entender a razão de essa série já ter 50 anos e continuar conquistando tantos fãs dia após dia. Apenas assistindo para saber...

 A série possui alguns spin-offs (séries derivadas de outras séries), o mais conhecido deles é Torchwood.

  
 
Torchwood
 
 
Acima está um trecho de Vincent and the Doctor. Desculpem pela má qualidade do vídeo e por não ser legendado, mas foi o único que eu consegui encontrar dessa cena. É basicamente a cena mais linda do episódio, em que o Doctor leva o Vincent à um museu para que ele possa ver o quão sua obra se tornou influente para o mundo da arte. O Doctor pergunta ao guia do museu o que ele acha que o Van Gogh significa para a história da arte, e o guia dá uma declaração apaixonada sobre o artista. Em um dos trechos mais bonitos de seu discurso, ele diz que ninguém exceto Van Gogh usou a dor de sua vida para expressar algo tão belo quanto suas pinturas, e que talvez ninguém jamais o fará de novo.
 
Beijos!

segunda-feira, 31 de março de 2014

Música - Joss Stone



  Estou muito musical hoje, rsrsrs. Por essa razão, resolvi falar sobre uma das melhores vozes dessa geração: Joss Stone.

  Joscelyn Eve Stoker, ou melhor, Joss Stone, nasceu em 1987 em Dover, na Inglaterra. Canta vários estilos musicais, especialmente Soul e R&B, além de já ter feito alguns trabalhos como atriz. Começou a carreira em 2003 e continua até hoje, com seu último álbum, The Soul Sessions Volume 2, sendo lançado em 2012.

  A cantora é dona de uma voz poderosa, que nos lembra das divas soul do passado.

  Aqui vão algumas músicas da garota:



  E para concluir, vou colocar dois covers magníficos que ela cantou:



   Beijos!!

fonte: wikipédia

Música - La Oreja de Van Gogh

  Sempre gosto de procurar por bandas novas, principalmente de língua espanhola, já que é uma maneira de praticar o idioma. Em uma dessas buscas encontrei uma banda chamada "La Oreja de Van Gogh", que logo se tornou uma queridinha minha.

  A banda nem é tão nova assim. Surgiu em 1996 no País Basco, localizado no extremo norte da Espanha. Faz parte do gênero pop-rock e seu nome é referente ao pintor Vincent Van Gogh (Whovians vão a loucura). A primeira vocalista, Amaia Montero, deixou a banda em 2008, entrando em seu lugar Leire Martinez, que ocupa os vocais até hoje.

  Agora deixo vocês com duas de minhas músicas favoritas da banda :-)




P.S: O segundo vídeo, Jueves, não é oficial, mas é tão lindo e explica tão bem a música que preferi colocá-lo.

Beijos!

fontes: Wikipédia, dammit.com.br

domingo, 30 de março de 2014

Orgulho e Preconceito - Jane Austen


 Desde os quinze anos, uma das minha autoras favoritas é a Jane Austen. Seus livros são tão simples e ao mesmo tempo tão encantadores que não tem como resistir a sua ironia e humor.

  Pra quem não a conhece, Jane Austen foi uma escritora inglesa do século XIX nascida em Steventon, era filha de um reverendo, tinha seis irmãos e uma irmã, Cassandra, também sua melhor amiga.

  Seus livros contam a vida de pessoas comuns de sua época, sempre satirizando as futilidades da sociedade.

 
Retrato de Jane Austen feito por sua irmã, Cassandra.
 
  Um de seus livros mais conhecidos é Orgulho e Preconceito (1813). O livro conta a história de Elizabeth Bennet, uma jovem alegre e inteligente, e de sua irmã, Jane, a moça mais linda da região onde elas moram. A família das moças fica sabendo da chegada de um jovem e rico rapaz chamado Charles Bingley.
 
Respectivamente: Jane, Caroline, Elizabeth e Bingley na versão de 2005.

  Em uma festa feita para receber Bingley e seus amigos, Jane e o rapaz ficam admirados um pelo outro. O mesmo não acontece com Elizabeth e Mr. Darcy, amigo de Bingley que despreza Lizzy por ela não ser tão bonita. Ela por sua vez, acha Darcy arrogante e desagradável.

  Porém, conforme Darcy vai encontrando Lizzy, começa a perceber que ela nem é tão feia assim e que ela tem um belo par de olhos. Já Lizzy o acha cada vez pior.

 
Mr. Darcy e Elizabeth Bennet na versão de 1995 da BBC, a minissérie Pride & Prejudice.

  Enquanto isso Jane e Charles se apaixonam cada vez mas, o que agrada muito a família da moça e desagrada os amigos de Charles.

  Agora um pouco da família das moças: Jane e Lizzy são as duas mais velhas, seguidas por Mary, Kitty e Lydia. O único problema é que o que as duas tem  de responsabilidade, as outras três tem futilidade, e isso pode por o futuro de Jane e Lizzy a perder.

 
As irmãs Bennet na versão de 2005. Respectivamente: Lydia, Jane, Mary, Kitty e Elizabeth. A última é Mrs. Bennet, mãe das moças.

  Orgulho é Preconceito é principalmente uma história que mostra que o amor não vem de repente, e sim gradativamente, onde eventos fazem com que você realmente conheça a pessoa e pense se tudo aquilo que você acreditava vale a pena.

  Espero que vocês gostem desse livro tanto quanto eu :-)

Sherlock



Quem gosta de séries certamente já ouviu falar de uma das queridinhas da atualidade: Sherlock. A série é uma versão moderna do clássico de Sir Arthur Conan Doyle, Sherlock Holmes.

Nessa versão, famoso detetive vive na atual Londres e está tentando parar de fumar, já que nenhum lugar agora aceita fumantes.

A série tem 3 temporadas e nove (apenas nove!) episódios, cada um de aproximadamente 1h30min, e a última temporada demorou dois anos para ser lançada.
A série começa com John Watson (Martin Freeman) procurando alguém para dividir o aluguel, mas acha que ninguém dividiria um apartamento com ele. Ao comentar o fato com um colega, este lhe indica alguém que acabou de dizer exatamente a mesma coisa.
É aí que entra Sherlock Holmes (Benedict Cumberbatch), um "sociopata altamente funcional" - google it! - extremamente inteligente e que consegue ler a personalidade das pessoas assim que as conhece.


Outros personagens tão bons quanto os dois são Lestrade, que sempre depende do Sherlock nas suas investigações; Molly Hooper, que trabalha no necrotério e tem uma paixão platônica pelo Sherlock; e a Sra. Hudson, proprietária do prédio em que eles vivem e que no passado foi casada com o dono de um cartel de drogas.

Além desses, temos: Irene Adler, uma mulher que apesar de tudo acaba te fascinando, e o (fodástico) Moriarty!!!!!

Na terceira temporada temos também Mary Morstan, que se casa com o John e que é interpretada pela linda Amanda Abbington, que é esposa do Martin.

Agora deixo vocês com uma das cenas mais divertidas. Ladies and gentlemen, Drunk Sherlock!

Bem-vindo. Bienvenido. Welcome.

   Sempre tive o sonho de ter um blog. Já cheguei até a criar alguns, porém sempre excluí-los por motivos diversos. Dessa vez, vai ser pra valer.

   Meu nome é Amanda e eu tenho 19 anos. Sou uma verdadeira bookworm, não importa se o livro que estou lendo é "modinha" ou não, basta ser bom. Ok, tenho que admitir que meus livros favoritos são os clássicos, mas falo bem alto que Jogos Vorazes, Divergente e outros livros desses (que eu tenha lido e gostado realmente) são ótimos.

  Falando nisso, a imagem ao fundo do nome do blog é inspirada em "Moon River", uma das minhas músicas favoritas que por vez me lembra um dos meus livros favoritos, "As Aventuras de Huckleberry Finn" de Mark Twain. Quem sabe eu faça uma resenha sobre ele...

  Uma outra paixão é o mundo das séries de TV, principalmente as britânicas <3. E filmes, não posso esquecer dos filmes. Americanos, espanhóis, de qualquer parte da América Latina e do mundo.

  Por falar em mundo, meu maior sonho é conhece-lo todo, e acho que essa é a razão de todas as minhas paixões citadas e não citadas: filmes, livros, idiomas, comidas etc. Tudo isso envolve culturas diferentes e são formas de aprender sobre algo que nos é desconhecido.

 Nesse blog dividirei tudo isso e mais um pouco com vocês leitores, e espero que vocês também compartilhem seus gostos e opiniões comigo e me ajudem a tornar o blog cada vez melhor.

  Por fim, sejam bem-vindos!